quinta-feira, 30 de junho de 2016

Roubou porque se sentiu legitimado

Roubou porque se sentiu legitimado pela própria ideia de felicidade de abarca a todos com o seu conceito de que você merece ser feliz nem que para isso tenha que trocar seu sexo, afinal é isso que traz sentido para a nossa existência. Vou mais além ainda, não apenas ser feliz, mas o ser 24 horas por dia, você não foi feito para passar vontade, por isso, simplesmente faça o que tem que ser feito, para que sua existência seja legitimada pela felicidade, nem que para isso  tenha que roubar.

Roubo pela legitimação de fazer sentido o  meu existir, então não é roubo, afinal se me é imposto que eu preciso “ser” como a propaganda da TV me diz, e eu não tenho dinheiro para conseguir ser como se é exigido, a necessidade de ser fala muito mais alto do que a possibilidade de se poder ser ou não. 

Logo a sobrevivência não é mais o se alimentar e construir, é o se afirmar dentro do padrão imposto.

Bem vindo todos à era da mentira, onde até o ladrão rouba porque foi enganado pela mídia impondo uma necessidade desnecessária para que legitime a sua existência. Em outras palavras rouba para “ser”, e não porque precise de fato.